Responsabilidade Ambiental

Responsabilidade Ambiental

A política de gestão ambiental da Embaré é pautada na busca contínua de alternativas que minimizem os impactos da fabricação de produtos lácteos ao meio ambiente e que contribuam com melhora da qualidade de vida da sociedade.

Reciclagem de resíduos industriais

O programa de reciclagem de resíduos industriais tem como objetivo oferecer adequada destinação aos resíduos, reduzindo ao máximo o impacto ambiental. Tecnicamente, consiste em reaproveitar, reciclar ou aterrar os resíduos gerados pela empresa. Essa conduta demonstra o comprometimento com a responsabilidade ambiental e sistema de gestão NBR ISO 14001.

Coleta seletiva

A Embaré investiu na estrutura física da Central de Resíduos, beneficiando a coleta seletiva, armazenamento e destinação dos resíduos. Mais de 90% de resíduos sólidos gerados são reciclados, sendo que mais de 400 toneladas de material reciclável são doados para à Ascalp – Associação de Catadores de Lagoa da Prata. O restante do resíduo não reciclável é enviado para empresas especializadas no tratamento de resíduos. Dessa forma, a empresa garante a destinação correta de todos os resíduos que produz.

Estação de Tratamento de Efluentes Industriais

1

A ETEI foi construída em 1997 e teve a sua capacidade ampliada em 2008. Em 2016 a estação passou por melhorias significativas na tecnologia dos processos de tratamento, com o objetivo de aperfeiçoar a eficiência do sistema, melhorar a qualidade da água lançada no corpo receptor e produzir biofertilizante a partir dos resíduos sólidos. Os efluentes são submetidos a um tratamento físico e biológico em lagoas anaeróbias e lagoas de estabilização. Já tratada e analisada em laboratório exclusivo, a água é lançada na Lagoa Verde, antes da sua integração ao rio São Francisco.

Geração de energia elétrica por meio de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo – MDL

No projeto de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) desenvolvido pela Embaré, parte do biogás, composto principalmente de metano, gerado na Estação de Tratamento de Efluentes Industriais (ETEI), é conduzido a um gerador e a partir de sua combustão é transformado em energia elétrica, utilizada para a manutenção de toda a ETEI, a outra parte, retorna para a fábrica e é utilizado como combustível para a geração de vapor na caldeira. A queima do biogás proporciona a redução de 600 toneladas de biomassa mensal, contribuindo para a redução do efeito estufa e engajando na política de utilização de fontes renováveis de energia.

O sistema é considerado como uma das melhores alternativas para evitar o avanço do aquecimento global.

Caldeira de Biomassa

A Embaré possui desde 2014 uma caldeira de biomassa em sua fábrica, ocupa uma área de 1.615m² e tem capacidade de produção de vapor superior à soma da capacidade das três caldeiras anteriores.

Os gases provenientes da queima de biomassa são isentos de substâncias compostas de metais pesados, além disso, a caldeira dispõe de recursos de segurança ainda mais avançados, controlados eletronicamente, com abafadores de ruídos, isolamento térmico e acústico, impedindo que calor e ruído interfiram no ambiente interno e externo da fábrica.

Emissão Atmosférica

A Embaré realiza o monitoramento periódico das emissões gasosas das chaminés das caldeiras, garantindo os níveis de enxofre, monóxido de carbono e óxidos de nitrogênio muito abaixo dos limites requeridos pela legislação brasileira.

Recuperação de água

A Embaré desenvolveu um sistema para recuperação da água evaporada no processo de concentração e secagem de leite. O sistema é equipado com condutivímetros e válvulas automáticas que direcionam a água para processos que necessitam de água de baixa dureza. Este sistema proporciona a diminuição da captação de água em poços artesianos e diminui a utilização de produtos químicos para tratamento da água, reduzindo o impacto ao meio ambiente.

Outro compromisso da Embaré é com o uso racional dos recursos hídricos. Na produção de leite, a empresa consome apenas 1,4 litro de água por cada litro de leite industrializado, enquanto a média nacional é de 3 a 4 litros de água. Para alcançar esse percentual, foram adotadas várias medidas ao longo dos últimos anos, como instalação de medidor de nível na baia de recepção de leite e reutilização de água condensada para geração de vapor na caldeira.

Recuperação de água condensada do vapor

Projeto para recuperação de 80% da água condensada dos pontos de consumo de vapor. Á água recuperada é utilizada nas caldeiras na temperatura de 80°C, diminuindo o consumo de combustível e reduzindo o consumo de água potável.

Alternativa para uma economia mais limpa

A Embaré faz uma seleção rigorosa dos fornecedores das embalagens. Todos que fornecem a embalagem de papel possuem a certificação FSC e passam por auditorias anuais, realizadas pela área do Sistema de Gestão Integrada.

Além disso, os produtos cartonados Camponesa também possuem tanto a tampinha quanto o plástico que compõe as camadas protetoras da embalagem provenientes da cana-de-açúcar. O chamado “plástico verde”, polietileno produzido a partir do etanol, é uma fonte de matéria-prima renovável. Mesmo não sendo biodegradável, o material é mais vantajoso para o meio ambiente do que o plástico convencional derivado do petróleo. Isso porque ele reduz a emissão de gases de efeito estufa na atmosfera, causadores do aquecimento global.